Parapsicologia Clínica adota a Hipnose Condicionativa.

DEPOIMENTO

          A prática do relaxamento e as técnicas terapêuticas da Hipnose Condicionativa auxiliam muito no desenvolvimento humano. Para  tentar driblar, conviver ou resolver os problemas que a vida nos impõe, é necessário equilíbrio físico e mental, e uma das principais formas de se conquistar esse equilíbrio, pode ser obtido através de técnicas terapêutica. É um momento que se deixa o mundo externo para ligar à sua essência. Voltar-se para si mesmo pode trazer resultados surpreendentes, muito além do esperado.

          Os resultados apurado com as práticas da hipnose condicionativa pude notar mudanças significativas em uma única prática terapêutica. A pessoa por se entregar com mais facilidade colhe os efeitos imediatamente da terapia.. Valendo-se assim, de novos pensamentos, posturas e atitudes para a superação de conflitos e transpondo atitude incorreta que o impede no progresso  familiar e social.

          Assim sendo, a Hipnose Condicionativa está inserida em meus trabalhos parapsicológicos, tornando-me parte dessa família de hipnólogos condicionativos.

          O profº Crozera, criador da hipnose condicionativa, encontrou um meio para chegar às causas de problemas comportamentais e diversos transtornos emocionais, chegando diretamente na “causa” do(s) problema(s) da pessoa, fazendo uma espécie de rastreamento na mente (consciente e inconsciente), indo da vida intra-uterina até o momento presente, num curto espaço de tempo substituindo as técnicas de “regressão” e incontáveis métodos adotados pela psicologia.

        Desta maneira foi encontrada uma brilhante forma para proporcionar ao ser humano, equilíbrio emocional, sem a necessidade de “investigar” a vida de uma pessoa, seu passado, chegando até as causas dos problemas (registros mentais negativos), sem revivenciar os abalos emocionais (sofrologia), abreviando os tratamentos.

 

Profª Silca T Malutta – Orientadora e Educadora em Parapsicologia – Parapsicóloga Clínica – Pós Graduada em Ciências Mentais.

Open chat